[em class=”fa fa-edit”][/em] About Us

A much mammoth because sedulously that in more regarding coaxingly...

A much mammoth because sedulously that in more regarding coaxingly wallaby more ouch fluently saw rabbit talkatively tore less like about despite..

more detail

Etimologia do Nome de Jesus

O nome “Yeshua” deriva-se de uma raiz hebraica formada por quatro letras – ישוע (Yod, Shin, vav e Ain) – que significa “salvar”, sendo muito parecido com a palavra hebraica para “salvação” – ישועה, yeshuah – e é considerado também uma forma reduzida pós-exilio babilônico do nome de Josué em hebraico – יהושע, Yehoshua’ – que significa “o Eterno salva”. Essa forma reduzida era muito comum na Bíblia hebraica (ou Tanakh), que cita dez indivíduos que tinham este nome – como podem ser visto nos versos de Esdras (Ezra) 2:2, Esdras (Ezra) 3:2 e Neemias (Nehemiá) 12:10. Josué ou Iesous;com esse nome a Roma-Grécia apelidou o sucessor de Moshê Rabenu, e virou cultura, e tradição. O Hebreu era filho de Num da tribo de Efraim, nascido no Egito, circuncidado com o nome de Hoshêa, ao consagrá-lo para seu sucessor Moshê deu-lhe o nome de Yehoshua, pois dentre os que saíram do Egito, ele foi achado digno de conduzir o povo de Israel à terra de Canaã.

Yeshua como o nome original de “Jesus”
A afirmação de que a forma Yeshua é o nome original de “Jesus” tem sido muito debatida atualmente – alguns afirmam que era Yehoshua ou que a própria forma grega do nome “Jesus” era usada entre os crentes primitivos (comunidades falantes do Grego existentes em Israel, durante o período helenístico e posteriormente, sempre afirmaram que os manuscritos originais do Novo Testamento foram escritos primariamente em Grego). De qualquer forma, já se tem provas explícitas de que “Jesus”, seus primeiros discípulos e a população que vivia na Terra de Israel naquele período, falavam Aramaico (ou um tipo de Hebraico-Aramaico). Eusébio de Cesareia relata que Mateus escrevera seu evangelho em “Hebreu” (um termo que era usado referente a um dialeto do Aramaico ou a língua hebraica propriamente dita). Existem também evidências que o Evangelho de João foi escrito em Aramaico. Temos também o testemunho da versão de “Áquilla” (um judeu que havia se convertido a Yeshua e posteriormente o renegado e retornado ao judaismo) que, diferentemente da Septuaginta, traz em Deut. a expressão IESOUA, com ALPHA no final, o que daria a entender que mesmo em grego havia uma escrita indicando verdadeiro nome YESHUA (IESUA – IESOUA – IESOU’). Ainda na Septuaginta e na língua grega usada em textos judaicos como os escritos de Josefo e de Fílon de Alexandria, Ιησούς (Iēsoûs) (como já dito, também aparece como Iēsoua´ em “Áquilla”) foi a forma padrão grega do nome hebraico “Josué” – יהושע (Yehoshua). Os indivíduos chamados pelo nome de “Yeshua” (aportuguesado por Jesuá nas Bíblias portuguesas) citados anteriormente, sempre foram transliterados também como Iēsoûs (ou primeiramente na forma Iēsoua´, como está na versão de “Áquilla” – não podemos esquecer para não deturpar!). Demonstrando ser realmente uma forma reduzida do nome “Josué” – Yehoshua – usado no dialeto falado durante tempo de Esdras e Neemias, Yeshua foi o nome preferido para o filho de “José” (Yosseph). Todas as ocorrências desta forma reduzida se encontram nos livros de Crônicas, Esdras e Neemias. Dois destes indivíduos são citados em outros livros bíblicos, mas na sua forma original – Yehoshua (Josué filho de Nun e Josué filho de Jozadaque). Esta forma reduzida do nome é usada por Jesus filho de Sirá em fragmentos hebraicos do Livro de Sirá ou conhecido também como Eclesiástico. Baseados numa comparação destes textos, acadêmicos aceitam o fato de que este livro de Jesus ben Sirach foi originalmente escrito em hebraico, deixando evidente nele referências a estes antigos fragmentos hebraicos oiginais. Se isso for verdadeiro, pode-se estender a evidência do uso do nome Yeshua até o século II a.C.. Nenhum uso do nome Yeshua é achado no Talmud, exceto em citações literais da Bíblia hebraica quando esta cita Josué filho de Jozadaque. Porém o nome Yehoshua foi muito utilizado durante o período dos Hasmoneus e até um pouco depois. Ao referir-se a “Jesus”, o Talmud o chama de “Yeshu”, pois podemos ler no Talmude Babilônico a acusação dos judeus contra Ele: “Na véspera da Páscoa eles penduraram Yeshu […] ia ser apedrejado por prática de magia e por enganar Israel e fazê-lo se desviar […] e eles o penduraram na véspera da Páscoa.” (Talmude Babilônico, Sanhedrim 43a)

Nos relatos de Toledoth Yeshu, elementos dos Evangelhos sobre Jesus são conflitados com descrições dos indivíduos chamados pelo nome de “Yeshu” no Talmud. Price [1] interpreta “Yeshu” como uma forma abreviada de “Yeshua” e argumenta que esta era a forma pelo qual Jesus era conhecido pelos Judeus. De qualquer forma, as narrativas de Toledoth Yeshu tipicamente explicam a designação Yeshu como um acrônimo da frase hebraica ימח שמו וזכרו – Yemach Shemô Vezichrô (Seja apagado seu nome e sua memória) e declaram que este nome originalmente era Yehoshua. Já outros, dizem que o responsável pela diminuição, por assim dizer, foi o sotaque galileu, que pronunciou YESHU devido sua dificuldade de falar a letra final gutural. Isso também podemos detectar em nomes de pessoas árabes, como por exemplo o sobrenome IACHOUH (pronuncia-se: i-ê-shú, ou às vezes i-ê-shú-ah).

Um argumento a favor da originalidade da forma “Yeshua” pode ser encontrada no fato do uso dessa na Antiga Bíblia Siríaca (composta no séc. III d.C.). A Peshitta (versão aramaica do Novo Testamento) usa também a forma “Yeshua” em seus escritos. A moderna pronúncia do Síriaco deste nome é Eeshoo, Yishuh, ou seja, temos o testemunho árabe da problemática da letra “E”, e do “A” final – como visto no sobrenome citado acima; mas sua pronúncia antiga era similar a “Yeshua”(i-êi-shú-ah). Com isso, pode-se argumentar que os falantes do Aramaico, que usavam este nome na sua forma “Yeshua”, escreveram-na em seus escritos e evangelhos afim de preservar o nome original de “Jesus” usados por eles.

O nome árabe para Jesus usado pelos cristãos, Yasu’a – يسوع, sendo derivada de “Yeshua” (ou seja, a mesma coisa se considerarmos que esta letra “a” que aparece aqui no árabe tem som de “e”, como em mohamEd, e se considerarmos também o “s” xiado), mas não é o nome usado para “Jesus” no Alcorão e em outras fontes muçulmanas. O nome tradicional para Jesus é “‘Isa” (عيسى, Ayn – Ya – Sin – Ya). Aparentemente este nome lembra o nome hebraico de Esaú – עשו (ESAV, Ain – Shin – Vav), . Juferi [3] argumenta que este nome árabe citado no Alcorão para Jesus é realmente derivado do aramaico “Yeshua’” – ܝܫܘܥ. – no qual considera também ser o nome original de “Jesus”. Parece bem ser o seu diminutivo, veja I S A = IeSuA, pronunciando-se (i_ê_shu_ah), com a tônica na letra “e” e não na letra “u”, como alguns erroneamente pronunciam, o que deturpa o significado que deixaria de ser “Deus Salva” ou “Deus é a nossa salvação” para ser utilizado apenas como a palavra aramaica para “Salvação”.

QUAL O VERDADEIRO NOME DE JESUS?

O nome Jesus é uma adaptação para o Português de um nome hebraico que aparece na Bíblia em duas formas: Yehoshua e Yeshua. Yeshua é uma forma abreviada do nome Yehoshua.

O nome Yehoshua foi adaptado para o Português como Josué, e é o nome do auxiliar de Moisés, que após a morte de Moisés tornou-se o líder do Povo de Israel, e conduziu o povo na conquista da Terra de Canaã.
O nome Yeshua é uma forma abreviada do nome Yehoshua, sendo que um mesmo homem é chamado na Bíblia, ora pelo nome Yehoshua, ora pelo nome Yeshua. Este homem era o sumo sacerdote na época de Zorobabel. Nos livros dos profetas Ageu e Zacarias, ele é chamado de Yehoshua, que na versão em Português aparece como Josué (Ageu 1:1 e Zacarias 3:1), e nos livros de Esdras e Neemias, ele é chamado de Yeshua, que na versão em Português aparece como Jesua (Esdras 3:2 e 5:2 e Neemias 7:7).

O sucessor de Moisés, que nos livros de Êxodo, Números, Deuteronômio, Josué e Juízes é chamado de Yehoshua (Josué), em Neemias 8:17 é chamado de Yeshua (Jesua, ou Jesus).

Tanto o nome Yehoshua quanto o nome Yeshua foram adaptados para o grego como Iesus. Na tradução do Antigo Testamento (Tanach) para o grego, chamada Septuaginta, feita no século III A.C., o nome Yehoshua aparece como Iesus, e o nome Yeshua também aparece como Iesus. Daí é que veio a forma Jesus, que é usada nas traduções da Bíblia para o Português.

Yehoshua significa Javé salva. Yeshua também tem este mesmo significado.

Josué, Jesua e Jesus são o mesmo nome, em três diferentes adaptações para a língua portuguesa.

Existem pessoas que dizem que é muito importante pronunciar o nome de Jesus como Yehoshua, ou como Yeshua, mas, na realidade, tanto faz falar Yehoshua, ou Yeshua, ou Jesus, pois de qualquer forma é o mesmo nome.

Alguns dizem que nomes próprios não se traduzem.

Realmente, nomes próprios não são traduzidos, mas muitas vezes são adaptados para outras línguas, pois existem certos fonemas (sons) que existem em uma certa língua, mas não existem em outras línguas.

Por exemplo: O nome Jacó é a adaptação para o Português do nome hebraico Ya’acov, sendo que em hebraico existe uma letra, chamada ‘ayin, cujo som não existe na língua portuguesa. Também não existe em Português palavra terminada em consoante que não seja l, m, r, s ou z. Por isso foi necessário fazer uma adaptação do nome Ya’acov para o Português.

O nome hebraico Yochanan foi adaptado para o Português como João, pois em Português não existe o y como semivogal, e também não existe o som que é representado como ch, mas não é o mesmo som que tem o ch em Português, é uma espécie de h aspirado, porém diferente do h aspirado que existe na língua inglesa.

O mesmo nome, Yochanan, foi adaptado para o grego como Ioanan, para o inglês como John, para o espanhol como Juan, para o francês como Jean, para o alemão como Johan, e para o italiano como Giovanni.

Portanto, vê-se que é normal adaptar-se os nomes próprios de uma língua para outra, mesmo porque, sem esta adaptação se torna muito difícil pronunciar certos nomes.
Principalmente os nomes de pessoas importantes são adaptados para outras línguas. Por exemplo, o reformador alemão Martin Luther é conhecido no Brasil como Martinho Lutero. Outro exemplo: o nome do imperador Carolus Magnus foi adaptado para o português como Carlos Magno, e para o francês como Charlemagne, e para o alemão como Karl der Grosse.

Portanto, podemos pronunciar o nome do Messias (Mashiach) como Yehoshua, Yeshua, ou Jesus. É indiferente. Além destas formas, podemos pronunciar o nome do Messias (Mashiach, ou Cristo, ou Ungido) nas formas Josué, Josua, Jeosua e Jesua.

O nome יֵשׁוּעַ “Yeshua” nada tem a ver com a palavra hebraica עֵז “ez”, que significa “bode”.

A palavra “Deus” nada tem a ver com a palavra “Zeus”, são palavras totalmente diferentes e não relacionadas.

A palavra portuguesa “Deus” é a tradução fiel das palavras hebraicas אֵל “El”, אֱלוֹהַּ “Elôahe” e אֱלוֹהִים “Elohim”, que significam “Deus”.

Qual a verdadeira origem do nome Jesus?

O nome português Jesus vem do latim Jesus.

Jerônimo quando traduziu a Bíblia na versão conhecida como Vulgata usou o original hebraico para traduzir o VT e uma versão chamada de Antiga Latina junto com algumas outras versões em grego para traduzir o NT. A versão Septuaginta (grega) que traduzia o nome hebraico Yeshua como Iesous serviu de base para a tradução da Antiga Latina.

A forma latina “Iesus”, que aparece na Vulgata Latina de Jerônimo, não foi inventada ou criada por Jerônimo, como afirmam erroneamente os adeptos do Nome Yehôshuah, mas é simplesmente uma transliteração natural do grego para a escrita latina. Ou seja: do Grego para o Latim

I = I
E = E
S = S
OU = U
S = S

Obs: O ditongo grego ou soa como u, por isso, Iesous, foi abreviado para Iesus. Do Latim para o Português:

I = J
E = E
S = S
U = U
S = S

Como se formou o nome Jesus?

1. O “S” final no nome Jesus

O s final em Jesus se explica pela necessidade de tornar esse nome declinável: como vimos os judeus substituíram o ayin final por um sigma (o “s” grego) do caso nominativo. Nos outros casos a palavra se declina assim: Iesou (genitivo), Iesoi (dativo), Iesoun (acusativo) e Iesou (vocativo). Com isso mataram-se dois coelhos com uma só cajadada: o nome ficou declinável, e o ayin final, que não tem equivalente em grego, foi substituído por um sigma (s).

Fato semelhante se deu com Judas, que reflete a forma grega Ioudas, que em hebraico é Yehudah (Judá). Outros nomes hebraicos que terminam com a gutural he tem em grego, em latim e em português no final o som s: Isaías, Jeremias, Josias, Sofonias et al. Outro exemplo é o vocábulo Mashiach, que termina com a gutural sonora cheth (ch), a qual em grego, em latim e em português deu também lugar ao som s: em Messias.

2. O “S” médio em Jesus

No vocábulo hebraico Yeshua”, o grupo sh representa a consoante shin. Por não haver em grego som correspondente a essa consoante fricativa palatal, que soa como xis (por exemplo a palavra eixo), os judeus a substituíram por sigma s, também fricativa mas línguodental, que em grego, mesmo entre vogais, soa como ss. A evolução do termo de uma língua para outra é a seguinte: Yeshua” (hebraico) > Iesous (grego) > Jesus (latim) > Jesus (português).

3. De onde Surgiu a letra “J” no Nome Jesus?

Dizem os adeptos do Movimento do Nome Yehoshuah que o nome correto de nosso Salvador não pode ser “Jesus” por não existir a letra j na língua hebraica.

A única transliteração ( reduzir um sistema de escrita a outro, letra por letra) possível do nome do Messias é Yehoshuah, e não Jesus, que seria uma deturpação greco-romana, pois na língua hebraica não há correspondente para a letra “j”. Portanto, o nome do Senhor, para essas pessoas, não poderia em hipótese nenhuma ser transliterado com a letra “j”.

A questão da letra “J”

É verdade que o j não existe no hebraico, grego e latim. Como, então, aparece essa letra em nomes bíblicos em quase todas as línguas com as quais estamos familiarizados? Porque todas as Bíblias trazem Jeremias, Jacó, Jersusalém, Judá sendo que não existia o J em hebraico?

O que aconteceu foi o seguinte: os judeus da Dispersão, empenhados em traduzir as escrituras hebraicas para o grego (a Septuaginta), não encontraram nessa língua uma consoante que correspondesse ao yodh do hebraico, e a solução foi recorrer à vogal grega iota, que corresponde ao nosso i. Então escreveram Ieremias, começando com i, e assim por diante, inclusive Iesous. No hebraico a letra y yud representa tanto o som vogal i como a consoante y. O mesmo acontecia com o latim com as letras i e u. O emprego das letras j e v para representar i e u consonânticos ocorreu na época do Renascimento, foi difundido por Pierre de la Ramée, também conhecido como Petrus Ramus. Foi filósofo francês, reformador da lógica aristotélica, aderiu à reforma protestante em 1561. Morto no massacre que se seguiu à noite de são Bartolomeu. Escreveu instituições dialéticas (1543) e Contra Aristóteles (1543).

A expressão “letra Ramista”, ficou sendo uma designação comum dada às consoantes j e v, em homenagem a ele, que primeiro as distinguiu das vogais i e u em textos franceses. (BARSA)

Por isso lemos Jerusalém, e não Yerushalayim; Jeremias, e não Yeremiahu; Jonas, e não Yonah; Joaquim, e não Yehoiacin; e assim por diante.

Há tempos, especialistas em hebraico são unânimes em transliterar palavras que começam com a letra hebraica yod (a letra inicial de Yehoshuah), ora com “i” (ou “y”), no caso de substantivos comuns, ora com “j”, no caso de nomes próprios. Uma rápida consulta a qualquer léxico, analítico ou gramática de hebraico bíblico confirma esta afirmação.

share

Comments

  1. Very nice, i suggest webmaster can set up a forum, so that we can talk and communicate.

  2. Hi there there! This article couldn’t be created any much better! Studying by way of this submit reminds me of my prior space mate! He often held referring to this. I’ll ahead this short article to him. Rather positive he’ll have a very great examine. Thanks for sharing!

  3. I didn’t know where to find this info then koaobm it was here.

  4. As a Newbie, I am constantly browsing online for articles that can benefit me. Thank you

  5. Thank you, I have been hunting for info about this subject for ages and yours is the best I’ve discovered so far.

  6. You actually make it seem so easy with your presentation but I find this topic to be actually something that I think I would never understand. It seems too complex and very broad for me. I am looking forward for your next post, I will try to get the hang of it!

  7. Existem muitas razões para que uma experiência no museu seja marcante e enriquecedora na vida das pessoas.

  8. While I don’t agree with every little thing that you’ve reported, it is a fascinating viewpoint.

  9. Great share it is actually. My mother has been looking for this info.

  10. I just want to mention I am just all new to blogging and truly savored this web page. Likely I’m planning to bookmark your website . You really come with beneficial article content. With thanks for revealing your blog.

  11. francisco m. cordeiro : julho 12, 2012 at 11:33 am

    muito bom e coerente.agora aos que questiona trata Deus como um ser intelegivel.

  12. francisco m. cordeiro : julho 12, 2012 at 11:58 am

    muito bom e compreensivel.Agora aos que questiona, não acha Deus um ser inteligivel.

  13. Irmão Guilherme. : julho 13, 2012 at 8:52 am

    Concordo ser plenamente o Nome de JESUS O CRISTO o Nome que salva, seja ele pronunciado em Alemão, Hebraico, Latim, português, espanhol, japonês, indiano, etc.

  14. I just want to mention I am very new to blogging and really liked this web site. Almost certainly I’m planning to bookmark your blog post . You definitely come with perfect articles and reviews. Many thanks for sharing with us your blog.

  15. Nos somos obrigados a concordar mesmo pois se não aceitarmos, seremos reprovados pela tradição. E quem gostaria de voltar a estaca zero voce teria essa coragem? Muitos conhecem mas como voltar atras ser reprovado, seria obrigado começar de novo, então e mais facil aceitar o que esta ai. mudar os nomes tão familiarizados. dificil né.

    • i don’t think it is legalistic to want to call soneome by their correct name. and the Bible, NT and OT, obviously place great significance on the meaning of names; a person’s name defined him or her.this is a good question, freddy. In acts we read that there is no other name under heaven by which men are saved. but in the epistles we read that it our faith in what Jesus DID that saves us .i have thought about this before too. i think it is something we should seek the Lord about and receive an answer from Him.

    • I agree that reading scrtpiure is a community matter. How often I have made a comment in class and the teacher who was the minister most of the time just told me he didn’t agree and we would have to get together and study it more. Guess what. he never found the time to study with me or show me where I might be wrong.

  16. Str9Ht I really like and appreciate your article post.Really looking forward to read more. Really Great.

    • Great post with lots of imorptant stuff.

    • Amen Cindy. That’s why I like writing caeirtn topics, it brings up good conversations and different angles on scriptures. It is always good to ponder on God’s word. He has revealed Himself to us as the I AM or the becoming One. Whatever needs somebody might have in their life, He is the banner, the shield, the healer the comforter, the door, the gate, the way etc. God is amazing and He is on the throne. Bless you my dear friend.

  17. Awesome post! I will keep an on eye on your blog.

Deixe uma resposta